domingo, 12 de outubro de 2014

Apaziguados




"Somos a marca de um tempo
 passado a limpo no limbo.
De fatos e acontecimentos
que somente esclareceram
após nos consumirem por algumas horas
e que doeram tanto
para sair da carne."

Ana Cruz

domingo, 28 de setembro de 2014

Vozes-mulheres



"A voz da minha bisavó ecoou
criança
nos porões do navio.
Ecoou lamentos
de uma infância perdida.
A voz da minha avó
ecoou obediência
aos brancos-donos de tudo.
A voz da minha mãe
ecoou baixinho revolta
no fundo das cozinhas alheias
debaixo das trouxas
roupagens sujas dos brancos
pelo caminho empoeirado
rumo a favela.
A minha voz ainda
ecoa pelos versos perplexos
com rimas de sangue
e
fome.
A voz da minha filha 
recorre todas as nossas vozes
recolhe em si
as vozes mudas caladas
engasgadas nas gargantas.
A voz da minha filha 
recolhe em i
a fala e o ato.
O ontem - o hoje - o agora.
Na voz da minha filha
se fará ouvir a ressonância
o eco da vida-liberdade."

Conceição Evaristo



quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Autorrespeito

"Quero meus filhos afirmando: sou descendente de africano,
com o mesmo orgulho que os descendentes de outros
continentes aqui muito bem instalados se identificam.
Desta maneira saberão sobrepor-se, se forem tomados
por mau elementos.
Sei que terão inteligência para não negligenciarem o fato.
Não serão acometidos pela fraqueza de aceitarem calados a 
humilhação.
Nem tentarão esconder do meio social no qual
buscam ascensão que eles são discriminados
iguais aos demais pretos."

Ana Cruz


sábado, 20 de setembro de 2014

A cor da pele.

Por Adão Ventura



"a cor da pele
saqueada
e vendida.

a cor da pele
camuflada
e despida.

a cor da pele
vomitada
e engolida.

a cor da pele
esfolada
em banho-maria."

Em Negro.

Poesia de Adão Ventura




"em negro
teceram-me a pele.
enormes correntes
amarram-me ao tronco
de uma Nova África.

carrego comigo
a sombra de longos muros
tentando impedir
que chegam ao final
dos caminhos.

mas o meu sangue 
está cada vez mais forte
tão forte quanto as imensas pedras
que meus avós carregaram
para edificar os palácios dos reis."

Linguaruda.



Iniciando sim com este poema de Ana Cruz que se chama Linguaruda. 
Porque realmente eu sou uma linguaruda sim, acerca das minhas raízes, e também por muitas vezes falar demais por este meio chamado internet, facebook, whatsapp.
Porém estou nessa transição, há algum tempo de cortar amizades, cortar laços, que eu insistia em dizer que eram eternos, para estar em contato com meu Eu, para estar aprendendo a me ouvir, a me curar, e deixar que a Babilonia queime fora, porque Jah Rastafari queima dentro de Euuu!!! 

Vamos lá? :D

"Eu sou uma preta, muito negra brilhante cintilante, faço verso com requinte para o deleite das pessoas que amam a vida e fazem das tripas coração, para prosseguir ampliando a estética do mundo que, sabe Deus ou "Olorum", pela perfeição de sua criação. Sou preta, muito negra, faço verso muito prosa. Por sermos assim retintos, somos tratados a ferro e fogo. Subvertemos a ordem social que vigora silenciosamente onde os pretos, quando chamados, é somente para concordar."

Buscando estar mais presente.



Pelo fato da ausência, estou aqui buscando estar presente,
Buscando escrever mais, esclarecer mais,
Estar mais aqui em contato com meus leitores e principalmente buscando 
Eu raízes.
Segue acima poesias africanas e brasileiras, acerca do Eu sou!
Eu sou, tu és, nós somos!
Vamos buscar saber quem somos, de onde viemos e para onde vamos?
Eu estou buscando a cada dia re-afirmar a presença de Deus em minha vida,
Desta forma estas poesias neste dia de hoje, me ajudaram a voltar a minha história,
Deixar um pouco de lado essa história "branca" e retornar a minha origem que também esteve perdida por alguns momentos.
Pois eu e eu sou errante demais perante aos olhos de Deus, sou mulher, humana, feita de carne, propícia a errar, mas cabe a eu aprender diante dos meus erros a ser melhor,
A ser mais silenciosa, mais pura, perante a Deus!
Não quero mostrar a ninguém que tenha misericórdia de InI, mas quero mostrar que antes de apontar os defeitos do irmão que tá do teu lado ou distante, ouça os seus, ouça aquela mínima voz que fala ao teu ouvido quando você está sozinho, antes de dormir, que se chama consciência.
Ouvindo esta voz você poderá buscar o teu ao invés de reparar no meu!
Pois o que tenho aprendido é que os erros que observa no teu próximo são os teus!!!

Selassie IIII bençãos meus irmãos!
Viva o novo, viva a primavera!
Viva o florescimento, viva o renovo!
Que se chama amor de Jah!!!

domingo, 22 de junho de 2014

TEMPO PERDIDO




Por Yata Sarai Ikembe Divinitye

Sou uma imperatriz tão divina.
Então, por que razão perco meu tempo?
Preocupando-me com as pequenas coisas
que acontecem em torno de mim.
Mas eu não estou perdida,
na verdade, eu posso encontrar,
uma maneira de lidar com a minha raiva, quando a sinto
Fechar meu mundo
Orando e tentando,
Me separar deles,
Para ser um exemplo.
Para que eu possa ver, pois eu não sou cega.

Às vezes a vida avança tão rápido
Você deseja sempre voltar.
Vou sempre permanecer forte,
Com meu Rei sempre ao meu lado,
E nunca deixarei minhas emoções extravasarem.
Pois eles não passam de grandes pragas e parasitas, todos eless,
E certamente tentarão te enganar,
Mas você tem que saber em seu coração, alma e mente
A verdade está dentro de você.



Em breve você poderá ver claramente,
As coisas estão acontecendo no Mundo
bem diante dos seus olhos.
Então, por que razão perco meu tempo?
Com estes depravados do Mundo.
Eles vão colidir.
Afinal, quem está agonizando, atormentando.
Pois o Pai esta lá, sempre a me confindenciar.
Por que é tão difícil para você reconhecer?
Que você desperdiçou seu tempo?
Tentando convencer-me com a sua maldade
Inocentes disfarçados.
Deixe Eu ser Eu mesma, da minha maneira
Você faz sempre as mesmas coisas
Você acabou desperdiçando seu tempo.
É tão engraçado, vou repetir o quanto for necessário.
Ou talvez fazer de outra maneira
Pois as palavras não são suficientes para dizer,
Tudo o que eu gostaria de fazer com o meu tempo perdido.

(Poema extraído de The Vizionary, Vol 1, nº12, V.I. Rootz Dawtas, August 2005)

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Por Carol Afreekana por Carol Afreekana




Aquele poema chamado solidão,
Solidão é desapego,
Viver sozinha, como se fosse um desemprego,
Desemprego de tudo aquilo que te causa dor,
Desespero mais profundo de ser um sofredor,
A dor daquela chibata, ainda arde,
A rebeldia sem causa, mas que alarde,
Barulho cotidiano desumano,
Desumano é a falta que eu tenho de cuidado em mim, pranto,
Digo adeus ao homem velho,
Homem novo ei de chegar,
Me despeço do pranto,
Prazer eu sou a liberdade,
Nas asas de um lindo pássaro a solidão é alegria,
Sentar em frente ao mar, 
Harmonia,
Paz interior é a esperança de cada dia,
Cuida de mim a breve solitária alegria,
Alegria de cuidado interior,
Interior mato cachorro floresta só encontro amor,
Amor recebido amor divino
Pureza liberdade é um dom de espírito,
Saudosamente silenciosa eu chego no Jardim,
Maria saúda em mim e saúda em ti.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Marcos 11: 12-26; Quaresma



12 E, no dia seguinte, quando saíram de Betânia, teve fome.
13 E, vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e, chegando a ela, não achou senão folhas, porque não era tempo de figos.
14 E Jesus, falando, disse à figueira: Nunca mais coma alguém fruto de ti. E os seus discípulos ouviram isto.
15 E vieram a Jerusalém; e Jesus, entrando no templo, começou a expulsar os que vendiam e compravam no templo; e derrubou as mesas dos cambiadores e as cadeiras dos que vendiam pombas.
16 E não consentia que alguém levasse algum vaso pelo templo.
17 E os ensinava, dizendo: Não está escrito: A minha casa será chamada, por todas as nações, casa de oração? Mas vós a tendes feito covil de ladrões.
18 E os escribas e príncipes dos sacerdotes, tendo ouvido isto, buscavam ocasião para o matar; pois eles o temiam, porque toda a multidão estava admirada acerca da sua doutrina.
19 E, sendo já tarde, saiu para fora da cidade.
20 E eles, passando pela manhã, viram que a figueira se tinha secado desde as raízes.
21 E Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Mestre, eis que a figueira, que tu amaldiçoaste, se secou.
22 E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus;
23 Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito.
24 Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis.
25 E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.
26 Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.


João capítulo 12, versículos 12 a 29 - acompanhando os dias da quaresma.



12 No dia seguinte, ouvindo uma grande multidão, que viera à festa, que Jesus vinha a Jerusalém,
13 Tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana! Bendito o Rei de Israel que vem em nome do Senhor.
14 E achou Jesus um jumentinho, e assentou-se sobre ele, como está escrito:
15 Não temas, ó filha de Sião; eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta.
16 Os seus discípulos, porém, não entenderam isto no princípio; mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito dele, e que isto lhe fizeram.
17 A multidão, pois, que estava com ele quando Lázaro foi chamado da sepultura, testificava que ele o ressuscitara dentre os mortos.
18 Por isso a multidão lhe saiu ao encontro, porque tinham ouvido que ele fizera este sinal.
19 Disseram, pois, os fariseus entre si: Vedes que nada aproveitais? Eis que toda a gente vai após ele.
20 Ora, havia alguns gregos, entre os que tinham subido a adorar no dia da festa.
21 Estes, pois, dirigiram-se a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e rogaram-lhe, dizendo: Senhor, queríamos ver a Jesus.
22 Filipe foi dizê-lo a André, e então André e Filipe o disseram a Jesus.
23 E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado.
24 Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.
25 Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.
26 Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.
27 Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isto vim a esta hora.
28 Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu que dizia: Já o tenho glorificado, e outra vez o glorificarei.
29 Ora, a multidão que ali estava, e que a ouvira, dizia que havia sido um trovão. Outros diziam: Um anjo lhe falou.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Início Quaresma - Refletir ouvir mais do que falar.



E, quando se aproximaram de Jerusalém, e chegaram a Betfagé, ao Monte das Oliveiras, enviou, então, Jesus dois discípulos, dizendo-lhes:

Ide à aldeia que está defronte de vós, e logo encontrareis uma jumenta presa, e um jumentinho com ela; desprendei-a, e trazei-mos.
E, se alguém vos disser alguma coisa, direis que o Senhor os há de mister; e logo os enviará.
Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta, que diz:
Dizei à filha de Sião: Eis que o teu Rei aí te vem,Manso, e assentado sobre uma jumenta,E sobre um jumentinho, filho de animal de carga.
E, indo os discípulos, e fazendo como Jesus lhes ordenara,
Trouxeram a jumenta e o jumentinho, e sobre eles puseram as suas vestes, e fizeram-no assentar em cima.
E muitíssima gente estendia as suas vestes pelo caminho, e outros cortavam ramos de árvores, e os espalhavam pelo caminho.
E a multidão que ia adiante, e a que seguia, clamava, dizendo: Hosana ao Filho de Davi; bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!
E, entrando ele em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: Quem é este?
E a multidão dizia: Este é Jesus, o profeta de Nazaré da Galiléia.
E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;
E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões.
E foram ter com ele no templo cegos e coxos, e curou-os.



Vendo, então, os principais dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia, e os meninos clamando no templo: Hosana ao Filho de Davi, indignaram-se,
E disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus lhes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?
E, deixando-os, saiu da cidade para Betânia, e ali passou a noite.
E, de manhã, voltando para a cidade, teve fome;
E, avistando uma figueira perto do caminho, dirigiu-se a ela, e não achou nela senão folhas. E disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente.
E os discípulos, vendo isto, maravilharam-se, dizendo: Como secou imediatamente a figueira?
Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até se a este monte disserdes: Ergue-te, e precipita-te no mar, assim será feito;
E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.
E, chegando ao templo, acercaram-se dele, estando já ensinando, os príncipes dos sacerdotes e os anciãos do povo, dizendo: Com que autoridade fazes isto? e quem te deu tal autoridade?
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Eu também vos perguntarei uma coisa; se ma disserdes, também eu vos direi com que autoridade faço isto.
O batismo de João, de onde era? Do céu, ou dos homens? E pensavam entre si, dizendo: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que não o crestes?
E, se dissermos: Dos homens, tememos o povo, porque todos consideram João como profeta.
E, respondendo a Jesus, disseram: Não sabemos. Ele disse-lhes: Nem eu vos digo com que autoridade faço isto.
Mas, que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha.
Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi.
E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi.
Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram-lhe eles: O primeiro. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus.
Porque João veio a vós no caminho da justiça, e não o crestes, mas os publicanos e as meretrizes o creram; vós, porém, vendo isto, nem depois vos arrependestes para o crer.
Ouvi, ainda, outra parábola: Houve um homem, pai de família, que plantou uma vinha, e circundou-a de um valado, e construiu nela um lagar, e edificou uma torre, e arrendou-a a uns lavradores, e ausentou-se para longe.
E, chegando o tempo dos frutos, enviou os seus servos aos lavradores, para receber os seus frutos.
E os lavradores, apoderando-se dos servos, feriram um, mataram outro, e apedrejaram outro.
Depois enviou outros servos, em maior número do que os primeiros; e eles fizeram-lhes o mesmo.
E, por último, enviou-lhes seu filho, dizendo: Terão respeito a meu filho.
Mas os lavradores, vendo o filho, disseram entre si: Este é o herdeiro; vinde, matemo-lo, e apoderemo-nos da sua herança.
E, lançando mão dele, o arrastaram para fora da vinha, e o mataram.
Quando, pois, vier o senhor da vinha, que fará àqueles lavradores?
Dizem-lhe eles: Dará afrontosa morte aos maus, e arrendará a vinha a outros lavradores, que a seu tempo lhe dêem os frutos.



Diz-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras:A pedra, que os edificadores rejeitaram,essa foi posta por cabeça do ângulo;pelo Senhor foi feito isto,E é maravilhoso aos nossos olhos?
Portanto, eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos.
E, quem cair sobre esta pedra, despedaçar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó.
E os príncipes dos sacerdotes e os fariseus, ouvindo estas palavras, entenderam que falava deles;
E, pretendendo prendê-lo, recearam o povo, porquanto o tinham por profeta.


Mateus 21:1-46

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

União.






Entrei nesta busca Rastafari pelo Amor,
O amor de Jah que me inspirou e me transformou numa pessoa melhor,
Conforme fui encontrando pessoas, descobri que Rastafari é união,
União de corações puros que querem consagração,
Mas o mundo descobriu Rastafari e a tal da união caiu,
Caiu comigo, caiu em mim, causou desunião, causou fofoca,
E agora o que faremos neste mundo de tanta desonra?
Eu prego a União! Não tô aqui pra gerar picuinha não e nem separação!
Portanto, saí pra lá mundo de pecado, mundo de perversidade e mundo de separação!
Haile Selassie é meu escudo, e vim cumprir a minha missão de reunir!
Reunir neste mundo não vai ser fácil não, mas com a espada do evangelho,
A canção nyahbinghi e o chocalho na mão, isso tudo vai pro chão...

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Ano de renovar.



Este ano comecei iniciando meus projetos,
Estou cheia de metas, algumas já realizadas, porém precisam ser aprimoradas,
A primeira é se harmonizar,
Porém como conseguirem me harmonizar se só a minha parte está pronta para amar,
Amor e perdão caminham juntos,
Sem perdão não tem amor, e sem amor não tem perdão,
Como direi amor, se não perdoei meu irmão,
Pois bem, neste ABC a primeira lição quem faz é você,
Eu estou aprendendo, vivendo, reaprendendo,
Aprendi a perdoar, deixar usufruir da consciência e do bem estar,
O amor é um dom, de quê vale ter outros se não tem amor,
Se não tem perdão, não tem amor, e sem amor não tem perdão,
Pois é, vamos se firmar, meu irmão,



Com grande valor quero preservar, este ensino chamado amizade,
Venho consagrar,
A magia de ser doador, a magia de servir, é servir com amor,
Servir com humilhação,
Eu aprendi com Jesus na cruz, meu irmão,
Vou terminando esta escrita com gratidão,
Gratidão infinita de Deus agir nesta vida cheia de pecado e sem amor,
Devo dizer que estes ensinos são valiosos para mim e para você,
Torno a falar que sem perdão não tem amor, amor é perdão,
Queria falar sobre essas coisas, mas a realeza destas palavras me voltou a falar de perdoar,
Este ano é o ano de transformar, caminhar, sem pedras no caminho, se libertar,
Se não perdoar, as correntes estarão presas te impedindo de caminhar,
Aprendo vividamente com Cristo na santa cruz a amar, 



Cada dia com Maria a essência feminina a harmonizar,
Chega, terminei, de perdão não falo mais, até meu coração tocar,
Um momento meus irmãos, a vida vivida ensina a perdoar e amar.

Eu, eu mesma quem fiz, agorinha às 18:19 do dia 03 de fevereiro de 2014.

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas