domingo, 8 de julho de 2018

Ando intensa...

Ando tão intensa a ponto de sentir energias oriundas,

Vindas de mentes imundas cheias de amargura e solidão,

Ando tão intensa que sinto cheiro de mato,
Sinto em mim a doce dor da perda e do mal trato, lidado diariamente pelo tato,

Ando tão intensa que confundo o que é em conjunto se de fato seria em conjunto,
Por solidão.

Ando tão intensa que queria sair de perto de todo mundo, 
Ficar só no mundo, para saber de fato se todo esse sentimento é a tal de solidão,

Ando tão tão intensa que só queria uma brecha para que o mundo
Me desse um respiro, para que sinta alívio para poder não entrar em depressão,

Ando tão tão tão intensa, que não sei mais qual lua está em que,
Todas são cheias, iguais ao meu corpo que não sinto mais, se enche,
Se sente leve, se sente cura em meio à confusão,

Ando tão tão tão intensa que só queria que não tivesse sentimentos,
Porque sofro a todo momento pelas ligações de outrora e desse momento,
Onde tudo isso virou tormento para uma chamada decisão.

Ando tão tão tão intensa que seria melhor respirar,
Voltar e tomar teu lugar, de mulher preta, espiritual e intensa e saber lidar com 
A intensidade que poderia também ser vaidade, se fortalecer e silenciar e
Seguir como vem seguindo, intensa tão tão tão intensa que chega a quebrar...

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas