sábado, 20 de setembro de 2014

A cor da pele.

Por Adão Ventura



"a cor da pele
saqueada
e vendida.

a cor da pele
camuflada
e despida.

a cor da pele
vomitada
e engolida.

a cor da pele
esfolada
em banho-maria."

Em Negro.

Poesia de Adão Ventura




"em negro
teceram-me a pele.
enormes correntes
amarram-me ao tronco
de uma Nova África.

carrego comigo
a sombra de longos muros
tentando impedir
que chegam ao final
dos caminhos.

mas o meu sangue 
está cada vez mais forte
tão forte quanto as imensas pedras
que meus avós carregaram
para edificar os palácios dos reis."

Linguaruda.



Iniciando sim com este poema de Ana Cruz que se chama Linguaruda. 
Porque realmente eu sou uma linguaruda sim, acerca das minhas raízes, e também por muitas vezes falar demais por este meio chamado internet, facebook, whatsapp.
Porém estou nessa transição, há algum tempo de cortar amizades, cortar laços, que eu insistia em dizer que eram eternos, para estar em contato com meu Eu, para estar aprendendo a me ouvir, a me curar, e deixar que a Babilonia queime fora, porque Jah Rastafari queima dentro de Euuu!!! 

Vamos lá? :D

"Eu sou uma preta, muito negra brilhante cintilante, faço verso com requinte para o deleite das pessoas que amam a vida e fazem das tripas coração, para prosseguir ampliando a estética do mundo que, sabe Deus ou "Olorum", pela perfeição de sua criação. Sou preta, muito negra, faço verso muito prosa. Por sermos assim retintos, somos tratados a ferro e fogo. Subvertemos a ordem social que vigora silenciosamente onde os pretos, quando chamados, é somente para concordar."

Buscando estar mais presente.



Pelo fato da ausência, estou aqui buscando estar presente,
Buscando escrever mais, esclarecer mais,
Estar mais aqui em contato com meus leitores e principalmente buscando 
Eu raízes.
Segue acima poesias africanas e brasileiras, acerca do Eu sou!
Eu sou, tu és, nós somos!
Vamos buscar saber quem somos, de onde viemos e para onde vamos?
Eu estou buscando a cada dia re-afirmar a presença de Deus em minha vida,
Desta forma estas poesias neste dia de hoje, me ajudaram a voltar a minha história,
Deixar um pouco de lado essa história "branca" e retornar a minha origem que também esteve perdida por alguns momentos.
Pois eu e eu sou errante demais perante aos olhos de Deus, sou mulher, humana, feita de carne, propícia a errar, mas cabe a eu aprender diante dos meus erros a ser melhor,
A ser mais silenciosa, mais pura, perante a Deus!
Não quero mostrar a ninguém que tenha misericórdia de InI, mas quero mostrar que antes de apontar os defeitos do irmão que tá do teu lado ou distante, ouça os seus, ouça aquela mínima voz que fala ao teu ouvido quando você está sozinho, antes de dormir, que se chama consciência.
Ouvindo esta voz você poderá buscar o teu ao invés de reparar no meu!
Pois o que tenho aprendido é que os erros que observa no teu próximo são os teus!!!

Selassie IIII bençãos meus irmãos!
Viva o novo, viva a primavera!
Viva o florescimento, viva o renovo!
Que se chama amor de Jah!!!

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas