quarta-feira, 10 de junho de 2015

O sentir que vem ....




As vezes temos que nos recolher
Para que possamos entender 
Os propósitos divinos, 
Sem pressa, sem agitação,
Somente um Deus tem a solução,
Saber a hora certa de se manifestar,
Pois falar é um dom,

Mulher que tem sabedoria para falar
É raridade, mansa e sutil no olhar
Sagrada, sabendo entender as luas para então 
Se manifestar, em cada momento, cada ato seja certo,

As vezes a solidão é fundamental,
Para calar as vozes que ecoam fora,
Para ser prudente e se cuidar,
Mas quando não se encontra, a seriedade é fixa,
Olhar sincero que brilha justiça

O amor é a saída para se cuidar e permanecer,
Seu dom suspirar para o meu entender,

Antítese, metáfora não sei o que disse,
Escrevi, escrevi, nessa conclusão concluísse,

Manifesto de lua minguante
Para o desabafo intrínseco flutuante.

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas