quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Hon. Profeta Marcus Garvey


Bendito Amor Senhores e Senhoras,

Venho alegremente descrever umas das passagem que eu mais aprecio em nosso Hon. Profeta:

"Se eu morrer em meu trabalho, então é só começar, mas vou viver, na física ou espiritual para ver o dia da glória. Quando estiver morto adicionam o manto vermelho, preto e verde em torno de mim, de novo na vida eu ressucitarei com a graça de Deus e benção para levar até às alturas da vitória com as cores que você bem sabe. Olhe para mim no turbilhão ou tempestade, olha para mim todos ao seu redor para com a graça de Deus. Vou entrar e trazer inúmeros e milhões de escravos negros que morreram na América para ajudá-los na luta pela liverdade e vida."


Sem mais,

Somente refletindo no quanto a glória do Senhor nos é refletida todos os dias, através de simples gestos, como o céu, os pássaros, o seu animal de estimação, ou a planta que nasce do asfalto.

Damos graças ao Senhor pelo dom mais maravilhoso que Ele fez que foi o dom eterno da vida, de podermos olhar, enxergar as suas maravilhas, ouvir a sua voz sussurrando em nossos ouvidos suavemente como o amor, e abrir nossas bocar, mas para que saiam de nossa língua somente palavras santas, enfim, sentir o amor do Senhor em nossas vidas é maravilhoso !



Emmanuel Cristo !

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Acorda e viva !


Bendito Amor Senhores e Senhoras, Príncipes e Princesas,

É com muito amor que venho deixar essas palavras para reflexão da vida:

"Cansado de perambular,
pare e escute, alegria é a notícia
que nós traremos a você,
o Negro tinha preparado um banquete,
venha e seja bem-vindo.

Não mais desculpas em vão
O Negro chama e chama
você agora.
Venha, alma cansada.
por que esperar mais ?

Os pecadossão pesados e incomodam ?
Venha para Deus e os confesse agora
Ele está disposto a perdoá-lo
Pergunta, receba, por que esperá-Lo ?

No amor "abraçado" do Negro
Deveriavocê inclinar-se e confiar nEle agora ?
Deixe Ele ser a fonte para a limpeza
Venha de repente, por que esperá-Lo ?

Veja a roupa generosa matrimonial
Em suas mãos Ele abraça agora
Pressa, oh pressa, conosco cear
Entre ! Por que esperá-Lo ?..."

- Artista Desconhecido.

Conforme a profecia que o Mestre nos deixou em Apocalipse, quem aceitar ao nome sagrado de Emmanuel Cristo, Ele entrará em sua casa e ceiará com Ele. Amém.


Bendito Amor, Damos graças.

domingo, 24 de janeiro de 2010

ATENÇÃO !


Bendito Amor Senhores e Senhoras,


Vamos refletir e viver conforme as leis de Deus e dos homens, sempre respeitando ambas !

Prestando muita atenção no que a lei do homem vem a nos dizer, dizer que temos a LIBERDADE de expressão !?!

Será mesmo ?


Vejamos:


OS DIREITOS E OS DEVERES DAS PESSOAS E DAS COMUNIDADES (Constituição Federal Art. 5º - resumido)

Cada um de nós tem o direito de viver, de ser LIVRE, de ter a sua casa, de ser RESPEITADO como pessoa, de não ter medo, de não ser pisado por causa do seu sexo ou da sua cor, de sua idade, de seu trabalho, da cidade donde veio, da situação em que está, ou por causa de qualquer outra coisa. Qualquer ser humano é nosso COMPANHEIRO porque temos o mesmo direito que nós temos.

Esses direitos são sagrados e não podem ser tirados de nós; se forem desrespeitados, continuamos a ser gente e devemos lutar para que eles sejam RECONHECIDOS. A lei do Brasil diz assim:


1. as mulheres são iguais aos homens em direitos e obrigações, de acordo com o que diz na Lei Maior;

2. dentro da lei, o cidadão pode ou não fazer o que ele desejar;

3. nenhuma pessoa poderá ser torturada ou tratada como bicho ou "coisa";

4. o cidadão é livre para dizer ou escrever o que ele pensa, mas precisa assinar o que disse ou escreveu;

5. se alguém foi injustamente agredido na imprensa falada e escrita, tem o direito de responder no mesmo pé, e de receber dinheiro pelo prejuízo que sofreu na sua economia, na sua honra e no conceito que o grupo tem dele;

6. a liberdade para pensar no que é certo ou que é errado e para acreditar em Deus é sagrada e não pode ser mexida por ninguém ; a lei protege as igrejas, as festas religiosas e as pessoas que celebram a sua fé;

7. nos quartéis, nas escolas e nas casas onde as pessoas ficam internadas, qualquer um pode pedir licença para praticar a religião na qual acredita;

8. todos serão respeitados na sua fé, no seu pensamento e na sua ação na cidade, mas, aquele que não fizer o que lei manda para todos, ou se negar a fazer o que a lei manda para todos, ou se nega a fazer o que ela sugere em substituição, dizendo que sua fé, seu pensamento e sua ação na cidade não permitem fazer isso, terá seus direitos diminuídos;

9. somos LIVRES e não precisamos de autorização para publicar nosso pensamento, a nossa arte, o nosso conhecimento e as notícias que sabemos;

10. ninguém pode penetrar na vida íntima particular de um outro, nem manchar a honra e a imagem dele; se alguém fizer assim, o outro receberá dinheiro pelo prejuízo que sofreu na sua economia ou no conceito que a comunidade tem dele;

11. só se pode entrar na casa de uma pessoa com o conssentimento dela; sem o conssentimento, se pode entrar durante o dia com ordem do juiz; mas em caso de crime que está sendo cometido , em caso de desastre ou para prestar socorro, não é preciso conssentimento para se entrar a qualquer hora na casa de alguém; (...)


Damos graças pela comunicação e propagação da fé.


CRISTO sempre esteja em nossos corações.





sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Reverência.


"Espírito do Senhor Jeová
O que será que virá
Cuide de todos aqueles que necessitam
Cuide do meu coração,
Dê-nos Senhor mais amor, mansidão
Oh Senhor Far I sejamos mulheres mais puras,
Sejamos maduras,
Sejamos inspiradas por mulheres fiéis
Tais como Raquel, Ester, Menen,
Sejamos Imperatrizes
Homens, tantos exemplos bíblicos para ser não querendo somente parecer
Sejamos mais paciente com o amor reluzente
Para ambos, todos os seres humanos
Estarmos harmonizados num único chamado
Chamado Eterno do Amor,
Amor do nosso Senhor Jeová
Rastafar I reinará,
Glórias a Jeová."


por Carol Afreekana.


Damos graças por todo o dom derramado através do Espírito Santo, assim como diz a palavra do nosso Senhor Neggus em Coríntios.


Bendito Amor.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

A Educação no Brasil: Avanços e problemas

Se fizéssemos um passeio pela história da educação, no Brasil, veríamos que muito pouco mudou desde o início até os dias de hoje. O que ocorreu foi uma sucessão de avanços e tropeços.

Nos primeiros anos do nosso país a educação era aquela promovida pelos Jesuítas. Alterou-se para pior com a expulsão da Companhia de Jesus, permanecendo inalterada até a chegada da Família real, em 1808, e somente se incrementou e estruturou a partir da década de 1960.

A preocupação dos jesuítas era a catequese dos índios e o ensino das primeiras letras aos filhos dos colonos. A despreocupação com a escola se devia ao fato de ser uma colônia rural em que se dependia apenas da força braçal. A escolarização era vista como algo desnecessária, pois as atividades eram eminentemente braçais, para as quais o saber ler e escrever consistia em um luxo, pois, pensava-se: para que um trabalhador da roça precisa saber ler e escrever, se seu serviço é lavrar o chão. Talvez, por esse motivo, quando a Companhia de Jesus foi expulsa do Brasil o processo escolar ficou adormecido. Mesmo porque durante todo o período aos filhos das elites, quando isso parecia conveniente, havia a possibilidade de estudar na Europa.

Com a chegada da família real as coisas não mudaram. A educação escolar continuava sendo privilégio de alguns membros das elites. Com a diferença de que são criados alguns cursos que poderiam ser considerados precursores das primeiras faculdades. E assim se passaram os anos e chegamos ao início do século XX quando o nível de escolarização da população brasileira ainda era baixíssimo.

Somente após a Primeira Guerra Mundial, com a chegada dos imigrantes e o início da industrialização começou a aparecer uma maior preocupação com a escola. Entretanto de forma mais concreta, somente a partir dos anos 60, do século XX, a partir de movimentos populares, de mobilização sindical se concretizaram as primeiras experiências de popularização da escola. Mas esse princípio de educação popular foi extinto com a instalação do Governo Militar, a partir de 1964, a partir do qual foram estabelecidos os acordos MEC-Usaid.

Durante o período militar nasceu a LDB 5.692/71 que, por muitos anos norteou o ensino de primeiro e segundo graus, no país.
A LDB pode ser considerada, ao mesmo tempo, um avanço e um tropeço. Avanço porque normatizou o sistema escolar nacional, que até esse momento não estava completamente organizada. Foi um tropeço porque a escola nacional se tornou dependente dos interesses norte-americanos, em razão dos acordos MEC-Usaid. E a proposta de profissionalização não surtiu efeito, pois os cursos profissionalizantes não deram conta de preparar os jovens para o mercado de trabalho. Seu efeito foi o de, por algum tempo, diminuir a demanda por vagas nas portas das universidades.

Com o processo de abertura e redemocratização, a partir de meados da década de 1980, o sistema escolar se reorganizou e em 1996 foi publicada uma nova LDB, a qual rege o sistema escolar brasileiro, na atualidade.
Podemos dizer que, o grande avanço do sistema escolar brasileiro e da legislação educacional foi a obrigatoriedade da gratuidade do ensino fundamental e médio a ser oferecido pelos estados e municípios. A oferta e compromisso com a escolarização passou a ser não só uma obrigação dos pais, por ser direito da criança e do jovem, como uma obrigação e dever do Estado. Essa obrigatoriedade do Estado se manifesta como oferta de condições de escolarização, de acesso à escola e de permanência nela. Entretanto isso ainda não se tornou uma realidade para todos os estudantes. Nem todos têm condições de acesso à escola e nem todos os que têm acesso permanecem nela. Além disso a escola nos três níveis (fundamental, médio e superior), ainda não é uma expectativa e um objetivo dos jovens em idade escolar.

Em todo esse período, talvez o que possamos apresentar como o grande problema da educação nacional, tenha sido e continue sendo o da desvalorização do profissional da educação. Desvalorização que se manifesta nos baixos salários, na dificuldade de acesso a escolarização de nível superior, pois o filtro do vestibular impede que a grande maioria dos jovens ingressem no ensino superior. Essa dificuldade de acesso se deve tanto à deficiência na formação como na falta de vagas para todos. E com isso fica comprometida a afirmação de que deve acontecer educação para todos com todos na escola.
Recentemente foi aprovada a lei que estabelece um piso para os salários dos professores. Entretanto até que isso se torne uma realidade pode demorar um tempo. Além disso, estabelecer um piso sem oferecer maiores condições para que os professores se aprimorem na sua qualificação pode não ser suficiente para melhorar nosso quadro escolar que já foi pior, é verdade, mas ainda tem muito a melhorar até chegar ao ponto de se equiparar ao dos países desenvolvidos.
Valorização dos profissionais da educação, ampliação das condições de acesso e permanência na escola e ampliação da qualidade do ensino oferecido são alguns dos desafios que se impõem a um ministro da Educação que, seriamente, deseje melhorar o sistema escolar brasileiro.
Neri de Paula Carneiro – Mestre em Educação, Filósofo, Teólogo, Historiador.

Leia mais: <http://falaescrita.blogspot.com/>; <http://ideiasefatos.spaces.live.com>;

Praticando a fé com fervor.


Hebreus 11

Grandes exemplos de fé

1A fé é a firme certeza das coisas que se esperam; é a evidência daquilo que ainda não vemos.
2Foi porque tiveram essa fé que grandes homens de Deus receberam o testemunho da aprovação de Deus.
3É a fé que nos dá a entender que o mundo inteiro foi criado pela palavra de Deus; quer dizer que o que existe foi criado a partir do que se não vê!
4Foi a fé que inspirou Abel a fazer a Deus um sacrifício mais agradável do que o de Caim. Aceitando a sua oferta Deus mostrou a Abel que era perdoado. Ainda que já esteja morto, Abel continua a dar-nos uma lição.
5Pela fé Enoque foi levado para o céu sem experimentar a morte; um dia deixaram de o ver porque Deus o tinha levado. Isto foi assim porque antes lhe foi mostrado que agradou a Deus.
6Ora, sem fé é impossível agradar a Deus. É necessário que quem se aproximar dele creia que ele existe e que recompensa os que sinceramente o buscam.
7Pela fé Noé creu quando Deus o avisou de coisas que ainda estavam para acontecer, e consciente da sua gravidade, começou a construir a arca na qual salvou a sua família. Esse acto de fé foi como a condenação dos que não quiseram aceitar aquele aviso. E assim Noé obteve o direito de ser justificado pela fé.
8Pela fé Abraão obedeceu quando Deus o chamou, e partiu para uma terra que lhe prometia dar, como uma herança. E foi, sem mesmo saber para onde ia.
9Sempre em resultado da sua fé, ele aceitou habitar nessa outra terra como um estrangeiro, vivendo em tendas, tal como Isaque e Jacob, aos quais Deus fez também a mesma promessa
10É que Abraão esperava aquela cidade solidamente estabelecida, cujo arquitecto e construtor é Deus mesmo.
11Pela fé Sara, mulher de Abraão, pôde ter um filho, apesar da sua idade avançada, pois teve por digno de fé aquele que lho havia prometido
12E foi assim que uma nação inteira veio de Abraão, já velho de mais para ter filhos. E o facto é que dele descenderam tantos milhões quantas as estrelas do firmamento, ou os grãos de areia à beira mar!
13Todas estas pessoas viveram na fé e morreram sem terem visto o cumprimento das promessas; mas foi como se as vissem de longe, e crendo nelas, aceitaram-nas. Eles reconheciam que aqui na Terra eram estrangeiros, vivendo de passagem.
14E os que reconhecem isso mostram claramente que buscam a sua verdadeira pátria.
15Se tivessem querido, teriam podido voltar à terra donde tinham saído. Mas não.
16É que eles tinham em vista uma muito melhor, um país celestial. Por isso Deus não se envergonha de ser considerado o seu Deus, porque lhes preparou uma cidade.
17Pela fé Abraão ofereceu em sacrifício o seu filho Isaque, quando Deus quis experimentá-lo. É verdade! Ele ofereceu a vida de seu único filho, que era o cumprimento da promessa de Deus.
18De facto Deus lhe tinha dito que seria através de Isaque que viria toda a sua descendência.
19Mas Abraão sabia que Deus era poderoso até para o fazer ressuscitar! E no fundo foi isso que aconteceu: foi como se ressuscitasse.
20Pela fé Isaque abençoou Jacob e Esaú, garantindo-lhes coisas que diziam ainda só respeito ao futuro.
21Pela fé Jacob, já próximo a morrer, abençoou cada um dos filhos de José, e, apoiado ao seu bordão, adorou Deus.
22Pela fé José, igualmente no fim da vida, falou da saída do povo de Israel do Egipto, dando ordens sobre os seus restos mortais.
23Pela fé os pais de Moisés esconderam-no durante três meses, depois de nascer. Viram que era uma criança formosa e não temeram a ordem do rei.
24Pela fé o mesmo Moisés, já homem feito, renunciou ao título de filho da filha do faraó,f
25escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que, por um tempo limitado, gozar de uma vivência onde reinava o pecado.
26Preferiu sofrer o desprezo, por amor a Cristo, achando que isso era um bem superior às riquezas do Egipto. É porque ele tinha em vista a recompensa.
27Pela fé deixou o Egipto sem temer a ira do rei, mantendo-se firme, como vendo aquele que é invisível
28Pela fé celebrou a Páscoa e mandou aspergir o sangue do animal para que, quando viesse o anjo destruidor matar os filhos mais velhos, fossem poupados os das famílias de Israel.
29Pela fé atravessaram os israelitas o Mar Vermelho como se fosse terra seca. E quando os egípcios tentaram fazer o mesmo, morreram afogados.
30Pela fé cairam as muralhas de Jericó, depois de o povo de Israel ter marchado à volta deles por sete dias.
31Pela fé Raabe, que tinha sido uma mulher de má vida, recebeu em paz os israelitas enviados para espiar a cidade, e não morreu com os que não acreditavam no Senhor.
32De quem hei-de eu falar mais? Faltar-me-ia o tempo se quisesse ainda falar de Gedeão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de David, de Samuel, dos profetas;ÿ
33pessoas que pela fé conquistaram nações, praticaram a justiça, obtiveram a realização das promessas, fecharam a boca de leões,q
34anularam a força do fogo, escaparam de morrer à espada, da fraqueza tiraram forças, foram valentes nas batalhas, fizeram recuar exércitos de estrangeiros.
35E houve mulheres que receberam os seus entes queridos ressuscitados. Outros foram torturados, preferindo morrer a ficarem livres, porque esperavam que pela ressurreição alcançariam uma vida melhor
36Outros foram ridicularizados, açoitados, acorrentados em prisões.
37-38Até morreram apedrejados; serrados ao meio; outros foram tentados a renegar a sua fé, acabando por serem mortos à espada. Houve os que andaram vagueando pelos desertos e pelas montanhas, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, escondendo-se em covas e em cavernas, sem amparo, perseguidos e maltratados - o mundo não era digno deles.
39Todos estes, embora tendo tido a prova de que Deus tinha satisfação neles, não receberam o que ele lhes tinha prometido.
40Porque Deus tinha reservado para nós coisas melhores, e queria que eles viessem também a participar delas juntamente connosco.

Abraços e carinhos,

Emmanuel Cristo !

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas