domingo, 22 de junho de 2014

TEMPO PERDIDO




Por Yata Sarai Ikembe Divinitye

Sou uma imperatriz tão divina.
Então, por que razão perco meu tempo?
Preocupando-me com as pequenas coisas
que acontecem em torno de mim.
Mas eu não estou perdida,
na verdade, eu posso encontrar,
uma maneira de lidar com a minha raiva, quando a sinto
Fechar meu mundo
Orando e tentando,
Me separar deles,
Para ser um exemplo.
Para que eu possa ver, pois eu não sou cega.

Às vezes a vida avança tão rápido
Você deseja sempre voltar.
Vou sempre permanecer forte,
Com meu Rei sempre ao meu lado,
E nunca deixarei minhas emoções extravasarem.
Pois eles não passam de grandes pragas e parasitas, todos eless,
E certamente tentarão te enganar,
Mas você tem que saber em seu coração, alma e mente
A verdade está dentro de você.



Em breve você poderá ver claramente,
As coisas estão acontecendo no Mundo
bem diante dos seus olhos.
Então, por que razão perco meu tempo?
Com estes depravados do Mundo.
Eles vão colidir.
Afinal, quem está agonizando, atormentando.
Pois o Pai esta lá, sempre a me confindenciar.
Por que é tão difícil para você reconhecer?
Que você desperdiçou seu tempo?
Tentando convencer-me com a sua maldade
Inocentes disfarçados.
Deixe Eu ser Eu mesma, da minha maneira
Você faz sempre as mesmas coisas
Você acabou desperdiçando seu tempo.
É tão engraçado, vou repetir o quanto for necessário.
Ou talvez fazer de outra maneira
Pois as palavras não são suficientes para dizer,
Tudo o que eu gostaria de fazer com o meu tempo perdido.

(Poema extraído de The Vizionary, Vol 1, nº12, V.I. Rootz Dawtas, August 2005)

0 comentários:

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas