quarta-feira, 8 de abril de 2020

Fiquei Só.


E chega o esperado momento de estar e ficar só de fato.
E sim não foi e não é nada legal.
Confrontar seu próprio ego, se desesperar e aprender dolorosamente a se curar.
Enfrentar sua escuridão, sentir medo e sentir até mesmo desespero.
Sim, isso tem sido bem comum nesses dias, chega até ser ironia!
Mas não é não, diga-se de passagem é um baita medo de solidão!
Daí tu acha que pode ir até o alguém pra se saciar na carne, mas depois volta aquele vazio, e de volta a sua raiz em reunião.
Meus irmãos, esse sentimento de desconstrução de solidão, não é fácil não!
Se entender como quando se está só, é buscar da escuridão no que há de melhor.
É aprofundar seus dons interiores, fazer as coisas que mais gosta ou até mesmo buscar conhecer.
Se não conhece teu corpo, vai enriquecê-lo, saber que cada parte dele possui um determinado "defeito".
O defeito vem entre aspas porque dele a gente vai buscar curar pra desfazer esse efeito, que tu acha que é negativo, mas na verdade é perfeito, redescobrir, o que tem de errado nele e refazer pra ficar perfeito, daí só se consegue apreciar, moldar e mudar, para que esse pequeno defeito te ensine que tudo que tem dentro de você é verdadeiro, ancestral e espiritual!
Se voltar a si mesmo, se reparar a cada instante que o que tem em si próprio é bem semelhante ao que você não quer enfrentar porque tem medo de só ficar.
E conforme tu mais só ficar, depois da escuridão acabar, mais prazeroso ainda será.
Pois faça um banho de ervas para primeiramente acalmar, use ervas relaxantes, como camomila, lavanda, erva-doce. Dentro desse banho, peça a teu ancestral para esse medo afastar, pra acalmar seu próprio altar, chamado de templo-corpo, se aprofundar!
Faça seu chá, suco favorito, cozinhe para você mesmo, seja teu incentivo.
Sim, tô utilizando sempre das mesmas palavras para que você se olhe mais, se conheça mais e permaneça consigo mesmo ainda mais!
Porque eu sei o quanto é difícil se reconhecer, se entender, se observar e aprender!
Pois para eu foi complicado, é um exercício eterno e diário!
Este conhecimento do corpo merece todo e um delicado apoio, pois temos marcas fortíssimas que nossa infância e adolescência nos deram, marcas de desprezo conosco mesmo.
Mas hoje estamos aqui, para identificá-las, moldá-las para futuramente mudá-las!
Crescer com as marcas, ficar cada vez mais forte e amadurecer,
Para quando a solidão chegar a entrar, jogar ela fora, para em solitude transformar!
Solitude é o prazer de estar consigo mesmo, se auto contemplar, rir, sorrir, dançar, deixar o corpo levar, para que seja feliz crescer a auto-estima, e o auto-conhecimento, deixar os rios da vida, fluírem!
Para que a cada vez se cresça, e esses rios se encham de harmonia, a fim de que possam ser transmitidas de dentro para fora, cheio de glórias, para que se fique feliz e só...



0 comentários:

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas