sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Revoooooooooolllltaaaaaaaaa!!!!!!!


Por minutos vivi neste sentimento,

Queria jogar tudo ao alto, ao vento,

Até carga de nervos, coração disparado veio pairar,

Pra quem esconde tanta ilusão,

Fala, fala, fala, fala, mas não vive um terço do que fala,

Só sabe olhar para o lado do que pro próprio umbigo,

Esse prazer desvariado que virou mito,

Inconstante nos seus ventos  de disciplina,

Esconde tudo que abomina,

Tanta ignorância, insensatez, que me revolto nesse mar ...

Estou brava, estou nervosa, e não me sinto respeitada,

Me sinto violada e bem mal-amada,

Que raiva de tanta cobrança,

Que raiva de falta de agradecimento,

Cansada dessa revolta sem motivo dessa falta de incentivo,

E o mais intrigante é que quando está falando com outro até amor é reciproco,

Sorriso, comunicação e reparação,

E o meu presente é solidão,

Esta vida de mulher me suga queria voltar anos para não desconfiar,

Queria ter feito diferente, mudar,

Depressão é que tenho para esta noite,

Um nó na garganta, um arroz,

Suspiro para não desconfiar, auto-confiança para lutar,

Haja paciência para suportar, haja amor para amar,

Haja força para continuar,

70 vezes 7 devo perdoar.

Me amar, me renovar, me embelezar, me auto-cuidar, isto é o que me resta daqui

por diante, quero ser feliz, não quero voltar para trás,

Um dia de ignorância dentre outros mais...


"Me desculpem pelo desabafado, tinha que falar, e não tinha ninguém..."




0 comentários:

Holding on to Jah

Esconderijo - Ana Cañas